Categorias: Serviço

Covid-19: Análise dos riscos potenciais e o protocolo de prevenção em supermercados, padarias e similares

Para prevenir o avanço da disseminação da Covid-19 em redes de supermercados, padarias e demais comércios alimentícios, considerados essenciais, centros de referência e órgãos oficiais em ações de vigilância e atenção à saúde dos trabalhadores, desenvolveram recomendações que orientam as empresas a tomarem medidas de controle, prevenção e segurança.

Os trabalhadores deste setor compõem o grupo de médio risco, conforme a classificação OSHA, 2020. As atividades de risco médio de exposição incluem aquelas que requerem contato frequente e direto (a menos de 1,8 metro) com pessoas que podem estar infectadas com SARS-CoV-2.

Recomendações e protocolos de prevenção no enfrentamento à Covid-19 em supermercados, padarias e similares:

  • Limpeza minuciosa de toda a loja;
  • Disponibilização de álcool gel 70% e todo o material necessário para frequente higienização, tanto para colaboradores, quanto para clientes;
  • Ambiente o mais arejado possível;
  • Orientações constantes de cuidados higiênicos, como lavagem das mãos e limpeza dos postos de trabalho;
  • Orientações gerais de conscientização para todos que circulam nas lojas;
  • Fornecimento de EPI ’s para toda a equipe de funcionários (luvas, protetor facial, outros);
  • Estabelecer como obrigatório o uso adequado de máscaras para trabalhadores, clientes e fornecedores;
  • Políticas de segurança junto à fornecedores e exigência de protocolos de limpeza no transporte e manuseio de produtos;
  • Limitação do número de clientes dentro das lojas;
  • Medição e controle da velocidade das filas com a disponibilização adequada de caixas;
  • Manutenção da distância nas filas (dentro e fora dos estabelecimentos) e corredores;
  • Medição de temperatura de colaboradores e clientes;
  • Incentivo ao pagamento em cartões e não em dinheiro, para estimular o menor contato direto possível;
  • Incentivar para que apenas entre nas lojas uma pessoa por família, e se possível recomendar que deixem as crianças em casa;
  • Monitoramento de inventário para garantir produtos de alta demanda em estoque, como: como sabão líquido, desinfetante, água sanitária, toalhas de papel, papel higiênico, álcool e outros produtos para limpeza;
  • Evitar o oferecimento de produtos para degustação;
  • Não expor e comercializar produtos prontos para consumo sem as devidas embalagens;
  • Oferecimento de serviços de entrega e e-commerce;
  • Afastamento de colaboradores com sintomas ou suspeita de coronavírus;
  • Monitoramento em caso de contágio do trabalhador e de outros que tiveram contato direto ou indireto com a pessoa acometida pelo vírus;
  • Promoção de medidas administrativas para reduzir o quantitativo de trabalhadores ao mesmo tempo, nos espaços de convivência (refeitório, área de lazer, etc.);
  • Instalação de barreiras físicas para assegurar o distanciamento entre trabalhadores e clientes nos balcões de atendimento;
  • Distanciamento entre caixas em atividade;
  • Se possível, colocar parte da equipe que não atua com atendimento (administrativo e financeiro) em home-office;
  • Os estabelecimentos que possuam trabalhadores realizando entrega em domicílio, ainda que terceirizados, devem orientar esses trabalhadores sobre cuidados higiênicos, como não tocar no rosto e lavagens das mãos com água e sabão frequentes, tendo como alternativa o uso de álcool a 70%;
  • Manutenção de pausas para a satisfação das necessidades fisiológicas durante a atividade laboral, como alimentação e hidratação.

Além destas instruções, é recomendável a criação de um grupo dentro da empresa (comitê de enfrentamento a Covid-19) envolvendo diversas áreas, equipe de saúde e segurança e a direção para acompanhar o que ocorre e, com isso, gerar melhorias nos processos. Todas as medidas adotadas devem ser documentadas. Também é recomendável que orientações sobre prevenção do contágio pelo Coronavírus sejam transmitidas pela rádio interna das lojas e que haja comunicação diária. Ainda, sugere-se que as empresas antecipem sua campanha de vacinação interna contra gripe para evitar outros afastamentos.

Sugere-se ainda verificar com mais rigor o cumprimento da NR24, norma regulamentadora do Ministério do Trabalho e Emprego que disciplina preceitos de higiene e de conforto a serem observados nos locais de trabalho, especialmente no que se refere a banheiros, vestiários, refeitórios, cozinhas, alojamentos e água potável, visando a proteção à saúde dos trabalhadores.

Últimos Conteúdos

O que é o GNRx e por que usar

Os softwares de gestão integrada (ERP) se tornaram a base de gerenciamento dos negócios das organizações. Através da integração de…

19 de fevereiro de 2021 11:07

Treinamento e Capacitação a Distância em SST

Os paradigmas de que o treinamento presencial era a forma mais eficaz para se capacitar e qualificar os trabalhadores já…

2 de fevereiro de 2021 14:00

Lixadeira e Esmerilhadeira – Riscos na Operação

Em canteiros de obras, oficinas, marcenarias e serralherias é comum observarmos trabalhadores utilizando lixadeiras ou esmerilhadeiras no desbaste de peças,…

23 de janeiro de 2021 17:34

Serviços no campo e os acidentes de trabalho

Embora não se verifiquem dados estatísticos específicos sobre o tema, é frequente a divulgação de acidentes do trabalho, alguns fatais,…

6 de janeiro de 2021 16:26

Deslizamento de terra e a segurança ocupacional

O fenômeno do deslizamento de terra é muito associado às áreas urbanas, especialmente regiões de morros e encostas, em que…

21 de dezembro de 2020 19:41

PGR – Programa de Gerenciamento de Riscos

Um programa, no âmbito da Saúde e Segurança do Trabalho, é definido como uma ferramenta legal que compreende medidas educativas,…

30 de novembro de 2020 12:54