Categorias: Sem categoria

Ergonomia para Trabalhadores em Checkouts e Itens Mais Autuados pelo M.T.

A ergonomia é um tema muito abordado no ambiente de trabalho, em qualquer segmento ou atividade econômica. Sua importância é enorme, porque diz respeito ao bem estar do trabalhador. Tanto é assim que ela é dividida de acordo com os diferentes tipos de funções exercidas. A NR17 – anexo I – trata da ergonomia para trabalhadores em checkouts. Conheça os principais aspectos dessa norma, especialmente aqueles que são mais autuados pela fiscalização do Ministério do Trabalho!

O que é ergonomia?

De acordo com a IEA (Associação Internacional de Ergonomia), “Ergonomia (ou Fatores Humanos) é uma disciplina científica relacionada ao entendimento das interações entre os seres humanos e outros elementos ou sistemas, e à aplicação de teorias, princípios, dados e métodos a projetos a fim de otimizar o bem estar humano e o desempenho global do sistema”.

Quando a aplicamos ao trabalho, podemos dizer que é a interação do homem com o ambiente laboral. Ela tenta oferecer ao trabalhador, além de conforto, métodos de prevenção de acidentes e de patologias especificas de cada tipo de atividade.

O que é a NR 17 – anexo I – e qual sua importância?

A NR 17, regulamentada pela Portaria nº 3.214/1978 do Ministério do Trabalho e Emprego,  é uma norma que tem como objetivo “estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente”.

O anexo I se destina ao trabalho dos operadores de checkouts, ou seja, caixas de supermercados, drogarias, comércio atacadista, dentre outros. Seu objetivo é adequar as condições desses trabalhadores de modo a prevenir problemas de saúde e segurança do trabalho.

A norma possui grande importância, porque muitas doenças ocupacionais se desenvolvem a partir da exposição do trabalhador aos riscos ergonômicos. Esforços repetitivos, por exemplo, causam LER. Trabalhos realizados sentado durante toda a jornada podem ser a origem de problemas de circulação. Levantamento de cargas são agressivos à coluna.

Em outras palavras, a norma serve para mitigar o desconforto do trabalho, que também gera baixa produtividade para as empresas.

Quais os itens da norma mais autuados pelo Ministério do Trabalho?

Quando se fala em ergonomia para trabalhadores em checkouts, há muitos motivos para que uma empresa seja autuada pelo Ministério do Trabalho.

Um deles é a falta de Análise Ergonômica de Trabalho (AET), obrigatório para qualquer empresa.

Se o responsável não avalia como as condições de trabalho se adaptam às características psicofisiológicas dos trabalhadores, pode dar margem ao aparecimento de doenças como lordose lombar, LER/DORT, escoliose, dentre outras.

Outro ponto muito autuado pelo MT diz respeito ao mobiliário dos postos de trabalho. Os trabalhadores em checkout trabalham sentados, portanto seu posto de trabalho deve ser planejado ou adaptado para esta posição.

No mesmo sentido, pode ser exigido um suporte para os pés adaptado ao comprimento da perna do trabalhador. Para tanto, é preciso realizar a AET. Em suma, todo o mobiliário deve “proporcionar ao ao trabalhador condições de boa postura, visualização e operação”.

Por fim, também é motivo de autuação frequente a regra sobre treinamento oferecido aos empregados. Cada trabalhador deve ser treinado por, no mínimo, duas horas, até o 30º dia da data de sua admissão e ser submetido à reciclagem anual com a mesma duração. Nesse treinamento, serão abordadas noções sobre prevenção e os fatores de risco para a saúde, decorrentes de seu trabalho como operador de checkout.

Como fazer uma gestão eficiente e evitar multas?

Para que uma empresa não seja autuada pelo Ministério do Trabalho, deve fazer uma gestão eficiente de saúde e segurança do trabalho, evitando danos aos trabalhadores e à empresa (multas, falta de funcionários etc). Isso envolve um bom conhecimento sobre as normas de ergonomia para trabalhadores em checkouts.

A maneira mais simples de compreender e aplicar tais regras é utilizando um sistema automatizado, que apontará os principais itens que devem ser considerados no ambiente laboral, possibilitando inclusive a análise por meio de checklist. O GNRX é um sistema de auditoria completo que pode auxiliar nessa questão!

Se você ainda não conhece o GNRX, faça um teste grátis sem compromisso e veja como ele pode ajudá-lo a gerir melhor a saúde e a segurança do trabalho em sua empresa!

Últimos Conteúdos

Qual a importância da Engenharia de Segurança do Trabalho?

A segurança do trabalho é um campo em evidência no Brasil, já que nosso país apresenta índices alarmantes de afastamentos…

22 de setembro de 2020 19:45

Sonolência, estresse e esgotamento físico: a gestão da fadiga no ambiente de trabalho

O cansaço é considerado uma consequência normal do trabalho, mas, se os limites não forem respeitados, rotinas muito intensas podem…

27 de agosto de 2020 03:17

Novo normal: medição de temperatura e testagem para Covid-19 em colaboradores

A pandemia causou grande impacto na rotina das empresas. E para se manter em operação, muitas delas optaram por reforçar…

4 de agosto de 2020 17:13

Covid-19: Análise dos riscos potenciais e o protocolo de prevenção em supermercados, padarias e similares

Para prevenir o avanço da disseminação da Covid-19 em redes de supermercados, padarias e demais comércios alimentícios, considerados essenciais, centros…

9 de julho de 2020 12:16

NR32 – Serviços de saúde – Risco Biológico

A NR 32 é uma Norma Regulamentadora, parte da legislação do Ministério do Trabalho, que estabelece as diretrizes básicas para…

15 de junho de 2020 14:21

COVID 19: Avaliação de riscos e medidas de prevenção no local de trabalho

A OMS (organização mundial de saúde) publicou um documento que orienta na prevenção do coronavírus (covid-19) nos postos de trabalho.…

8 de maio de 2020 12:20